O conceito de Geoparque surgiu em meados da década de 1990 como uma resposta à necessidade melhorar áreas com importância geológica na história da Terra e promover conservação dessas áreas. As paisagens e as formações geológicas são testemunhas importantes da evolução do Planeta Terra e determinantes para o futuro e seu desenvolvimento sustentável. Desde o início, o Geoparque adotou uma abordagem “de baixo para cima” (bottom-up) ou liderada pela comunidade para garantir que o significado geológico de uma área possa ser conservado e promovido para ciência e educação, além de ser usado como um bem econômico sustentável, por meio do desenvolvimento de um turismo responsável (geoturismo).

Geoparques são áreas geográficas únicas e unificadas, onde os locais e paisagens de significado geológico internacional são gerenciados com um conceito holístico de proteção, educação e desenvolvimento sustentável.

A estratégia de desenvolvimento sustentável aliada a uma gestão de qualidade passa por três componentes principais em um geoparque: geoconservação, educação e geoturismo. A geoconservação objetiva proteger o patrimônio geológico para as futuras gerações; a educação promove o estudo das geociências junto às escolas, universidade e centro de visitação, contemplando o público em geral; e o geoturismo busca estimular a criação de atividades econômicas tendo como base a geodiversidade e o patrimônio geológico do território, em cooperação com a comunidade local.

Um geoparque é feito de pessoas